G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Tópicos similares
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Outubro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 Pesca Inglesa

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
G.P.S.C.
Admin
avatar

Número de Mensagens : 109
Data de inscrição : 24/06/2008

MensagemAssunto: Pesca Inglesa   Qua Maio 13, 2009 2:22 pm

Pesca Inglesa

A técnica da Pesca à Inglesa tem a sua origem nas ilhas Britânicas, e surgiu da necessidade dos pescadores britânicos ultrapassarem algumas dificuldades na pesca desportiva em virtude de um clima mais chuvoso e ventoso que no resto da Europa e pelo facto de na maior parte dos rios e albufeiras os peixes, mais desconfiados, tenderem a manter-se muito afastados das margens.

Pesca Inglesa consagrou-se como uma técnica eficaz e com excelentes resultados na competição, já que permite realizar capturas a longa distância, 20/25 ou mesmo 40/50 metros, a qualquer profundidade e em situações adversas no que diz respeito à corrente e ao vento.

O pescador na pesca Inglesa pode utilizar dois sistemas distintos. Esta técnica consiste em colocar o isco em profundidade correndo o fio pelo boia, é utilizado fio afundante, algumas variantes a esta ténica permitem colocar a bóia fixa. A profundidade do isco em relação à bóia é definida por um nó corrediço ou chumbo colocado no fio antes da bóia.

A utilização de um ou outro sistema depende da profundidade da água, ou por simples opção do pescador:

* Com bóia fixa, para pesqueiros com profundidade inferior ao comprimento da cana.
* Com bóia de correr (slider), para profundidades superiores à cana.

A utilização da bóia de correr é aparentemente mais complicada para quem se inicia nesta técnica de pesca desportiva, mas indispensável para a obtenção de bons resultados em grande parte dos nossos rios e albufeiras.

Canas

As canas inglesas devem ser constituídas por 3 corpos e ter um comprimento entre 3,90 e 4,20 metros, menos ou mais rijas mas com resistência garantida, capacidade para poderem lançar bóias até 20 g., e com um número necessário de passadores para um melhor controlo do lançamento e da recuperação.

Carretos

Os carretos ligeiros com bobines cónicas tipo "match" com uma capacidade máxima para 200 ou 250 metros de fio. Será imprescindível possuir várias bobines com diferentes diâmetros de fio.

Fios

A característica fundamental do fio a utilizar assenta nas suas propriedades afundantes. Após cada lançamento será necessário recuperar algum fio para o posicionar bem esticado e abaixo da linha de água. Normalmente bastará um 0,12 para uma pescaria normal e um 0.14 para maiores profundidades, longas distâncias ou exemplares de maior porte.
Bóias

Na variadíssima gama de bóias ao dispor no mercado, na maior parte fabricadas em pena de pavão ou em fibras e com chumbo incorporado em vários dos seus modelos, deverá ter sempre em conta a sua utilização em cada situação de pesca:
As do tipo "waggler" (insert e straight) ou a com flyer para águas pouco profundas e a curta distância;
A "bodied" ou "onion" com "flyer" e a "swinger" para maiores distâncias, maior profundidade e vento moderado;
A "stick" para águas com corrente mas estáveis;
A "avon" para águas muito alteradas pelo vento ou de correntes mais fortes.

Chumbos
Os chumbos deverão ser macios para uma rápida e eficaz substituição e de todos os tamanhos desde os "ssg" até ao nº13. Quando na utilização de chumbos a travar a bóia deverão ser usados com fio de silicone para protecção da montagem. A mesma característica se aplica às olivas.

Os Lançamentos

A cana inglesa deve ser lançada em Xicote quando se usa um boia fixa. Além de ajudar a dar direcção ao lançamento, torna-o mais longo. Depois de lançada e quando vai quase a tocar na água deve-se travar o fio, para isso basta por um dedo em cima da bobine do carreto com cuidado. Isto vai fazer com que todo o fio que está por baixo da boia até ao anzol seja transportado para a frente nunca enliando com o que está por cima da boia. Note que no lançamento é a boia que vai à frente e as duas secções de fio (carreto e montagem) veêm atrás. Depois da montagem cair na água, deve-se colocar a ponteira da cana na água e enrolar até se ver todo o fio a afundar. A partir deste momento estamos em acção de pesca. Veja o gif animado do lançamento em chicote.


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://montargil.forum-livre.com
 
Pesca Inglesa
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Antenas e fios

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: Desporto :: CAÇA & PESCA-
Ir para: