G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Tópicos similares
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 Portugal e Espanha querem promover pinhão ibérico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Luís Manso



Número de Mensagens : 435
Idade : 56
Localização : Montargil
Data de inscrição : 22/07/2008

MensagemAssunto: Portugal e Espanha querem promover pinhão ibérico   Qui Mar 19, 2009 6:22 pm

Pelo interesse que esta actividade representa para a nossa região, transcrevo uma notícia do Jornal Diário do Sul:

Quinta, 19 Março 2009 09:52
"Os empresários portugueses e espanhóis ligados à fileira do pinhão querem apostar numa estratégia conjunta de promoção, que permita dar a conhecer o produto a ouros países consumidores. Os produtores reclamam a certificação de origem. A Península Ibérica tenciona ainda dar prioridade ao aumento da produtividade do pinhal nacional.

Foram estas as principais conclusões da I Jornada Ibérica da Pinha e do Pinhão, que decorreu em Alcácer do Sal, onde participou António Rego, presidente da Autoridade Florestal Nacional, tendo admitido na sessão de encerramento dos trabalhos que "este sector não tem tido por todos, a começar pelos governos, a consideração que merece", garantindo, por isso, "transmitir as preocupações dos profissionais ao secretário de Estado" da tutela.

A iniciativa foi organizada pela ANSUB-Associação de Produtores Florestais do Vale do Sado, e pela UNAC – União da Floresta Mediterrânica, com o apoio da Câmara de Alcácer do Sal, tendo reunido cerca de centena e meia de profissionais do sector, que representaram 85 por cento da produção mundial.

O encontro serviu mesmo para analisar a última campanha nacional, que registou uma produção de 40 mil toneladas pinha, um valor abaixo da média que traduz os efeitos da seca de 2005. Paralelamente, de acordo com as informações disponíveis, nomeadamente provenientes do primeiro inquérito à produção efectuado, enquanto a área de pinheiro manso tende a aumentar, o seu preço sofreu em 2008 o primeiro decréscimo desde 2001. Ao contrário da realidade espanhola, a apanha da pinha em Portugal é maioritariamente manual, embora o pinhão, em grande parte exportado para Itália e Espanha, represente quatro por cento do valor total das exportações de frutos secos.

Mas os dois países partilham muitas das preocupações do sector, sobretudo no que diz respeito ao roubo e mercado negro de pinha, que estão a aumentar nos concelhos alentejanos de Mora, Vendas Novas e Alcácer do sal, levando os industriais do miolo do pinhão a pedirem que ASAE intensifique a sua fiscalização.

O presidente da Associação de Industriais do Miolo de Pinhão, Hélio Cecílio, diz que os roubos começam nos primeiros dias de Novembro, apesar de a legislação dizer que a venda de pinhas só pode começar a partir de 15 de Dezembro. Aliás, Hélio Cecílio diz que o problema se agravou desde que os donos dos pinhais optaram por deixar de respeitar o decreto-lei que estabelece que a colheita só pode ser realizada de 15 de Dezembro a 30 de Março. "As pessoas estão a abdicar da qualidade com medo de serem roubadas. Colhem as pinhas em Outubro e Novembro, mas esses pinhões chegam às fábricas roxos, vermelhos e pretos e isso compromete o futuro de um sector que representa 80 milhões de euros em exportações", assegura, alertando que quem rouba pinhas "também já começou a trabalhar nesta altura do ano." "São desempregados, reformados e outras pessoas envolvidos nos roubos de pinhas que fazem um trabalho que garante rendimentos. Não pagam contribuições para segurança social, fisco e IVA. Uma pinha custa cerca de 50 cêntimos. Quem levar mil pinhas de uma vez já ganha o dia", denuncia o empresário.

Em cada 100 quilos de pinhas, extraem-se cerca 3,2 quilos de pinhão. Hélio Cecílio estima que, só em 2005, tenham sido roubados cerca de três milhões de quilos de pinhas. "

[i] Im Diário do Sul
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Portugal e Espanha querem promover pinhão ibérico
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Pins para troca - WPPINS (Moura Melo)
» Como promover o MTP no Facebook?
» Para recordar o Ultimo MotoGp Portugal
» O R1 Portugal tem o prazer de convidar:
» aproveitem o ultimo moto gp em portugal......cada vez tamos piores....que triteza...

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: Comunicação DIVULGAÇÂO :: Noticias Gerais-
Ir para: