G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 Praça da Jorna

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Antonio Mendes



Número de Mensagens : 823
Data de inscrição : 24/07/2008

MensagemAssunto: Praça da Jorna   Sex Jan 23, 2009 11:04 pm

Era na rua principal, então chamada Rua Grande (hoje Rua do Comércio) e do Pailó à Praça ( por vezes a partir cá mais acima da taberna do Zé Gabirra) que aos domingos à tardinha se concentravam os que procuravam patrão. Era um mar de gente, que causava admiração a todos quantos nos visitavam, e a concentração era tal, dizem-me” que se lá de cima caísse uma laranja ela não chegava ao chão.


Era ali que trabalhadores e patrões (ou o manajeiro) regateavam preços e trabalho Por vezes acontecia, que o possível patrão estava na taberna ou no café, e era o “manajeiro” que ia servindo de intermediário, que lá, nas tabernas as mulheres não entravam . Chegávamos a arranjar trabalho já horas adiantadas, dizia-me a senhora Ramira, íamos para casa e como já tínhamos o farnel aviado púnhamos o cesto à cabeça e íamos embora para a Charneca. Refira-se que a figura do “manajeiro”/”capataz”não era muito bem vista pelos jornaleiros. Às vezes eram piores que o patrão, só não nos tiravam a pele se não pudessem.
Contam-nos até que ao aproximar do sol-posto costumavam cantar:
Vai-te sol, vai-te sol/ para trás do barracão/ alegria para o rancho/ tristeza para o patrão:
Ou então:
Vai-te sol, vai-te sol/ para trás do outeiro/ alegria para o rancho/ tristeza para o manajeiro.


Houve quem mais tarde chamasse “ mercado de escravos” a esta “praça da jorna”, com o que de modo algum posso concordar.,até porque ali ninguém era vendido. Claro que a exploração do homem pelo homem era uma realidade, pois de modo algum a “jorna” compensava o esforço e o sacrifício que lhes era exigido, mas isso é outra história. Ali ninguém ia para onde não queria, e até se pelo caminho alguém oferecesse mais, mesmo sem avisar quem o/a tinha já contratado/a, era para esse que ia trabalhar.
E era para compensar estas situações, que no dia seguinte, na segunda-feira, logo cedinho, havia outra “praça da jorna” mas agora na Farinha Branca.

Face às dificuldades com que essas gerações se depararam, hoje toda a gente nasce rica, e acham muita graça quando lhe contamos que as moças que viviam no campo, só à entrada da vila se calçavam, descalçando-se no mesmo sítio quando do regresso, pois havia que poupar o calçado.

E ainda há dias a senhora Ramira a que já me referi, me dizia, que quando iam trabalhar para Almeirim, faziam o caminho em dois dias, a pé , levando o farnel e as mantas à cabeça, dormindo no meio do mato..

Com o 25 de Abril e as “ocupações”, era inevitável que a “ praça da jorna” acabasse, mas em 1976 ainda se realizou, para falar a gente para as vindimas.


Lino Mendes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pedrolopes

avatar

Número de Mensagens : 353
Idade : 39
Localização : http://www.youtube.com/user/pedrolopes777
Data de inscrição : 20/09/2008

MensagemAssunto: Re: Praça da Jorna   Ter Jan 27, 2009 7:48 pm

Tal e qual como o meu avô custuma relatar...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pedro-lopes-livros.blogspot.com
 
Praça da Jorna
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» VIII Convenção Nacional - IPMS / Curitiba/PR - 5/6-Dez
» Corujas Sem Asas || Episódio 1x06 - Fúrias e Traições

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: História e Património :: História de Montargil-
Ir para: