G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Outubro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031    
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 DO MEU OBSERVATÓRIO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: DO MEU OBSERVATÓRIO   Ter Jan 06, 2009 7:46 pm

Do
meu
Observatório Lino Mendes


Face à grave situação que o país atravessa, o grande objectivo que nos deve nortear neste momento , é a luta cerrada contra a “crise de valores” que nos assola, e que em meu entender está da base da sociedade degradante que, quer queiramos quer não, também é a nossa. Há, é certo, uma crise internacional, mas o que se passa em Portugal não tem só a ver com a mesma,l pois somos simplesmente e na Europa o país com mais desigualdades .E eu, que a todo o momento me apetece gritar o orgulho de ser Português, não posso deixar de sentir vergonha pelo que se passa no meu País.

Entretanto e para já, um recado à juventude que se está marimbando para a política. É que não podem ignorá-la, pois que sendo ela a ciência da governação dos povos, ignorar a sua existência é contribuir cada vez mais para a sua maior degradação. E se não duvidamos de que há gente séria na política, é um facto que a mesma vem sendo impotente para travar o lamaçal que nos vai rodeando.

É certo que mudar o mundo é uma utopia, digamos mesmo que uma batalha perdida, mas temos que acreditar que o podemos melhorar. E que só uma eficaz e objectiva CULTURIZAÇÃO poderá tornar a seara imune à demagogia e garantir uma colheita de gente boa e honesta, solidária, que pugne pela justiça social, que construa um país sem fome e que a todos garanta acesso aos cuidados de saúde, onde não haja lugar para corruptos.
Mas quando o se fala em culturização, logo em Cultura, não estamos a falar em graus académicos, que no entanto podem ser o caminho mais curto para a mesma, mas em maneiras de ser e de estar na vida. Falamos de Civismo, de Cidadania, de Honestidade, ,cuja licenciatura é passada pela universidade da vida e começa na família.

E se é certo que comportamento gera comportamento. como podemos falar em educar uma nova geração, se os maus exemplos vêm da antecedente? Como podemos nós atacar os mais desfavorecidos que fogem ao fisco, se lá por cima é um fartai vilanagem?

Há dias, na parede fronteira à porta de entrada de uma barbearia, li a seguinte frase:
“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.E ontem mesmo, um conhecido jornalista dizia-nos que “a crise económica e o terrorismo, quais caravanas, hão-de passar. O pior é os cães. Ficam e não param de ladrar”. Pergunto: será que vamos todos assistir passivamente, a este estado de coisas?
É que, permitam-me que aqui recorde Eça de Queiroz: quando nos diz que um país vive pela sua superioridade moral, pela sua elevada ciência, pelo seu amor à justiça, pela fecundidade do seu trabalho, pela sua literatura pelos seus movimentos no mundo político”E é vincando bem esta afirmação, que eu deixo à juventude de hoje o tal recado de que atrás falei.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: DO MEU OBSERVATORIO   Qua Jan 07, 2009 8:00 pm

Do
meu
Observatório


Foi fabulosa a ideia de promover novos e jovens valores no mundo da canção e ao mesmo tempo relembrar cantigas portuguesas de sempre; foram de magia os momentos que se viveram; foi construtiva a linguagem dos comentadoresi; por tudo isto os participantes não mereciam aquela traiçãozinha de se fazer um campeonato do que poderia ser acima de tudo uma “Mostra”.
Pessoalmente não concordo com concursos em cultura, e não tenham dúvidas que só por si, as palmas são um grande prémio para quem está fazendo as coisas por gosto. E menos concordo quando, como neste caso, é o público a ditar as leis, e votando ainda as vezes que quisesse. Para não falar em condicionantes como a canção escolhida para o participante e que aqui e ali não me pareceu a mais adequada.
Claro que era importante que as chamadas fossem feitas!
Todos foram vencedores, foi dito. Mas a verdade é que só um levou 25.000.00€ para casa. E como soa mal .ouvir por exemplo dizer que a pequena Beatriz Costa foi uma finalista vencida. Mas vencida por quem? Digamos que pelo mau sistema escolhido para uma ideia fabulosa.
Diga-se, entretanto, que como um tinha que vencer, até fiquei contente que tenha sido o Miguel a consegui-lo, ou não fosse ele neto de um grande amigo.
Entretanto, sei que os concursos vão continuar, e nada mais aqui deixo do que um desabafo. Mas ao menos arranjem-se expressões mais correctas do que vencedor, do que o melhor, do que vencido, quando o resultado final não é garantidamente o reflexo do aquilatar de qualidades.
De qualquer modo, foi um excelente serviço público de televisão, prestado por um canal privado.
Em meu entender, claro!

Lino Mendes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: DO MEU OBSERVATÓRIO   Sex Fev 20, 2009 9:33 pm

Do
meu
Observatório

Serei, talvez um sonhador, mas apenas posso ver o meu País como um “Estado Social”, isto é, que a todos garanta o acesso aos bens essenciais como o são, entre outros, a habitação, a educação e a saúde. Não de “ mão beijada” como diz o povo, mas naturalmente tendo como contrapartida os deveres que a par dos direitos conduzem à cidadania. No entanto…
Esse país não é certamente aquele em que um casal, não endividado acima das suas posses, com os impostos em dia, só pode ver a sua filha operada com a rapidez necessária, depois de no espaço de poucos dias pagar uma consulta por 12 contos, outra por 24, e vaga para a operação no espaço de uma semana mediante, claro, 240 contos .A cirurgia só ali poderia ser feita e era perigoso estar a protelá-la Esse país não é também aquele em que um doente tinha que esperar três anos por uma operação, a não ser que fosse ao privado Apenas esperou três semanas…porque tinha 1700 contos para pagar. Não é ainda aquele, em que uma pessoa ouve já bastante mal e necessita de ir com frequência a colóquios e a debates, mas não pode despender de 600 contos para os auriculares que se anunciam a 9.90 através, claro, de publicidade enganosa. E mais, muito mais!
Na verdade, não existe Serviço Nacional de Saúde. que pouco a pouco vem sendo esfrangalhado.

Lino Mendes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: DO MEU OBSERVATÓRIO   Seg Fev 23, 2009 8:28 pm

S O S SAÚDE


Nesta altura do campeonato, permitam-me a expressão, não interessa de quem é a culpa mas sim encontrar uma solução para a carência de médicos em Montargil.
Não há médicos, dizem uns, existem os suficientes, dizem outros, mas não se querem deslocar, Afinal, qual é a situação?
Pese embora a existência de um Centro de Saúde, as carências começam por não haver consultas aos feriados, sábados e domingos, e nos dias em que há encerram às 18 horas.
Neste momento a situação é caótica. Hoje, por exemplo só se encontra uma médica que vem um dia por semana mas há quatro semanas que não vinha, e há outro dia em que vem outro médico. E dizem-me que a solução passa por dois médicos efectivos e o apoio destes dois que estão aqui deslocar-se. E quando falamos em Montargil estamos a falar também em Foros do Arrão também.
As duas médicas que estavam efectivas— embora o quadro comporte mais— uma está de baixa com doença prolongada, e a outra igualmente em baixa por não ter resistido à dureza da situação.
Amanhã por exemplo Montargil vai estar inundada de gente, e os serviços vão estar fechados.
E termino com duas perguntas:1)-Por quê o privilégio dos médicos em relação aos professores, para não terem que trabalhar onde são colocados?2) Por que não retomar o programa os médicos à periferia, que sempre aqui resolveu os problemas?

LINO MENDES
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: EM MINHA OPINIÃO   Dom Mar 01, 2009 7:45 pm

Do
Meu
Observatório

(Lino Mendes)
Em minha opinião



Antes de mais, quero dizer que não me revejo naqueles que preferem o silêncio perante assuntos fracturantes, tampouco nos que interferindo embora na discussão dos mesmos, o fazem por razões ideológicas ou de subserviência. Uma reflexão isenta e cuidada deve estar sempre na base da opinião formada.

É o caso, por exemplo, dos casamentos de indivíduos do mesmo sexo.

Nada tenho contra os gays, que devem ser respeitados no direito ao trabalho, à educação, à saúde, a todos os direitos sociais que qualquer outro cidadão tenha, como indivíduo. Mas por razões antropológicas, não posso concordar com o casamento de duas pessoas do mesmo sexo E quer queiram quer não, o mesmo sempre teve o objectivo certo que por vexes não conseguido, do crescei e multiplicai-vos.

Uma coisa tem que ser claramente definida: --é-se homossexual por opção , ou por razões genéticas? Julgo eu que ninguém é homossexual porque o desejou ser, e a ser assim não se pode falar em orientação ou opção sexual Nasce-se homossexual, e quando assim é está-se perante uma tendência que nada poderá alterar. É no fundo uma situação que poderia ter acontecido connosco ou com familiares nossos.

Entretanto, o ser de esquerda, -- como eu me considero-- está a ser deturpado no seu conceito por alguns , essencialmente por razões políticas e eleitoralistas ,quero crer, que consideram que ser progressista é alinhar com o que é diferente ,por mais aberrante que seja.
É a minha opinião. No entanto, respeito a de quem pensa diferente, e não me verão a fazer campanha, apenas desejo que o bom senso prevaleça.
Que ser homossexual não é crime, é-se no entanto e apenas diferente, o que determina naturalmente soluções também diferentes.
Quanto à adopção de crianças, eu até acredito que nalguns casos seriam mais bem tratadas em especial se por duas mulheres do que o são em casais normais e nalgumas instituições, mas e em meu entender têm a palavra os técnicos de educação.

Lino Mendes
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pedrolopes

avatar

Número de Mensagens : 353
Idade : 39
Localização : http://www.youtube.com/user/pedrolopes777
Data de inscrição : 20/09/2008

MensagemAssunto: Re: DO MEU OBSERVATÓRIO   Ter Mar 03, 2009 9:55 pm

Vou responder ao seu artigo sobre o casamento homosexual... Para começar devo dizer-lhe e com todo o respeito que tenho pela sua pessoa, que não partilho da sua opinião.
A constituição reserva-nos direitos iguais para todos.
E o que é o casamento? Se não um contrato entre duas pessoas. Sempre foi assim desde sempre. Desde os casamento de conviniência dos reis. O casamento também foi, e ainda é muitas vezes usado como um método para subir de classe. Até mesmo a igreja católica decretou o celibato dos padres por volta do final do primeiro milénio como forma de evitar que a Igreja perdesse posses em eventuais disputas de herança...
O casamento como contrato pode muito bem existir entre pessoas do mesmo sexo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pedro-lopes-livros.blogspot.com
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: Do meu observatório   Qua Mar 04, 2009 8:28 pm

Claro que respeito inteiramente a sua opinião,que o assunto é de facto fracturante.No entanto e se verificar em "qualquer"dicionário, o casal é constituido por pessoas de sexo diferenteE o termo casamento advém precisamento de casal.

Lino
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: SER AUTARCA   Sex Mar 06, 2009 8:33 pm

,Ser Aurtarca


Porque é isso o verdadeiro Poder Local ,não fiquei surpreendido quando alguns autarcas do norte,( considerando que a luta era necessária) mesmo contra o seu partido, e não digo que sempre com razão, contestaram o encerramento de maternidades e urgências. É certo que poderão estar sujeitos a não serem recandidatos mas ao menos fizeram o que consideraram certo ,Estiveram ao lado daqueles que os elegeram, defenderam aquilo que consideraram ser o “bem estar” das “suas populações”.
Mas onde está ,afinal, a disciplina partidária ,que alguns consideram fundamental para o funcionamento e estabilidade do próprio partido? E, pergunto eu, onde está o pluralismo e a liberdade de expressão e de pensamento de que tantos se apregoam cultores?
As últimas eleições na Madeira são um caso sintomático, pois, perguntamos, o que lucraram os socialistas locais ao manterem a fidelidade a Lisboa? E aqui não se discute a figura e o comportamento, por vezes caricato, de Alberto João Jardim, mas estratégias de que a política também vive.
É de facto muito complexa a vida partidária, sendo que os partidos políticos e em minha opinião, não souberam evoluir no sentido certo que seria o de tornar governável um país com maiorias relativas. Aliás, os partidos são necessários à Democracia, as Reformas necessitam de que a política(ou os políticos) tenham credibilidade, o que, com ou sem razão, não acontece no momento.
Não há, que me lembre não houve até agora, uma oposição construtiva. O que é verde quando no Governo, poderá ser vermelho na oposição.
Também fui autarca durante três anos, o que me permitiu ficar a conhecer alguns bastidores da vida política. E deu para perceber que não tenho perfil para o efeito. Porque na defesa dos princípios que defendo, sou por vezes incómodo, não consigo que acima dos ditames da minha consciência sejam colocadas directrizes partidárias. E compreendo perfeitamente que assim até não interesse a partidos!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: o divorcio   Sex Mar 06, 2009 8:34 pm

O Divórcio

O Divórcio volta a estar na ordem do dia, com vários projectos de alteração ao que julgo já aprovados Mas não é a opinião do povo que os aprova, mas os seus representantes que de uma maneira geral o fazem por determinação partidária.

O assunto é muito sério e deve ser ponderado à margem de pressões partidárias ou religiosas, nem sempre coincidentes com a realidade social, sendo que a família é uma das mais importantes células que contribuem para um país harmonioso e de paz.

Por princípio sou contra o divórcio, pois entendo que o casamento deve ser pensado como decisão para toda a vida. E não me venham dizer que o mesmo não interfere com a estabilidade familiar, em que os filhos se inserem Aceito, naturalmente que há situações de total rotura em que o mal menor é mesmo o divórcio e impedi-lo será criar uma situação insustentável. Mas a lei deve ser restritiva de maneira a evitar um casa-descasa muito do agrado de gentes de hoje, Que os tempos são outros e dantes é que era diferente!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: DO MEU OBSERVATÓRIO   Seg Mar 09, 2009 8:00 pm

ESTOU PREOCUPADO



Qual é o português honesto, sério, que deseja um sociedade justa onde naturalmente haverá ricos e pobres, mas onde não haja fome e direito à saúde seja assegurado, não está preocupado perante uma justiça que parece impotente face à delapidação a vários níveis que por aí vai? Perdeu-se a vergonha e como alguém me dizia, chega a não apetecer ser sério. Aliás já repararam na desfaçatez com que” altas figuras” se referem a acusações que já prescreveram, sendo que num país a sério um crime não tem prescrição, e as escutas telefónicas que provam que algo aconteceu não podem ser ignoradas?

Maria José Morgado afirma que as leis favorecem a corrupção e alerta para a urgência de alterar a legislação. Por sua vez João Cravinho “está farto de explicar que as leis portuguesas foram feitas precisamente para que a corrupção ao nível do Estado e das câmaras se processe sem sobressaltos de maior e dentro da mais perfeita normalidade” (Santana-Maia Leonardo-Jornal Alto Alentejo—4/3/2009), que ainda refere que” por alguma razão os deputados socialistas rejeitaram liminarmente a proposta de João Cravinho de criminalização do enriquecimento ilícito, a única medida verdadeiramente eficaz no combate *a grande corrupção”.
Entretanto, Carlos Abreu Amorim (Correio da Manhã 23/2/2009), afirma que “ as nossas autoridades criminais não chegam a resultados efectivos sempre que o caso foge da normalidade (zinha) em que estão formatadas. Sobretudo se existem contornos políticos, tudo acaba nos arquivamentos por falta de meios ou em salvíficas prescrições. Estou certo de que Fátima Felgueiras confia plenamente na Justiça. Bem como Mesq1uita Machado, Isaltino Morais e tantos outros da mesma criação. O cidadão comum nem por isso”.
E como se tudo isto não chegasse, acabo de saber que um senhor Juiz Conselheiro não denunciou tentativas de suborno de que tinha conhecimento.

Estamos de facto no bom caminho para o retorno à ditadura!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pedrolopes

avatar

Número de Mensagens : 353
Idade : 39
Localização : http://www.youtube.com/user/pedrolopes777
Data de inscrição : 20/09/2008

MensagemAssunto: Re: DO MEU OBSERVATÓRIO   Seg Mar 09, 2009 8:58 pm

Concordo plenamente com o seu artigo de opinião. Mas relativamente às afirmações de Santana-Maia Leonardo, falta realçar que o anterior governo PSD-CDS, foi no minimo coinivente com esta cituação, não se pode sacudir assim a água do capote. Assim como anteriores governos PSD. A culpa reparte-se de igual forma pelo bloco central.

De louvar a atitude de João Cravinho, de lutar contra a maré... Mas já lhe custou o lugar na comissão política nacional do PS.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://pedro-lopes-livros.blogspot.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: DO MEU OBSERVATÓRIO   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
DO MEU OBSERVATÓRIO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: Comunicação DIVULGAÇÂO :: Diga de sua justiça-
Ir para: