G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Tópicos similares
    Últimos assuntos
    » MUSEU ONLINE
    Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

    » MUSEU ONLINE
    Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

    » MUSEU ONLINE
    Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

    » MUSEU OINLINE
    Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

    » MUSEOLOGIA
    Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

    » JORNAL DOSSABORES
    Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

    » LITERATURA
    Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

    » O LIVRO
    Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

    » O LIVRO
    Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

    Buscar
     
     

    Resultados por:
     
    Rechercher Busca avançada
    Rádio TugaNet
    Geo Visitors Map
    Outubro 2017
    DomSegTerQuaQuiSexSab
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031    
    CalendárioCalendário

    Compartilhe | 
     

     AO SABOR DO PENSAMENTO...

    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
    AutorMensagem
    lino mendes
    Admin


    Número de Mensagens : 869
    Data de inscrição : 27/06/2008

    MensagemAssunto: AO SABOR DO PENSAMENTO...   Ter Dez 16, 2008 8:41 pm

    No meu tempo...


    No meu tempo...esta a frase que com laivos de saudosismo muito se ouviu e continua a ouvir ,como se o passado fosse sempre melhor que o presente, e as novas gerações não fossem o reflexo de quem as antecedeu. Afinal, o ontem o hoje e o amanhã mais não são que estádios da vida com naturais necessidades específicas, e que necessariamente teremos que acompanhar sem que no entanto alienemos os valores fundamentais que nos devem nortear.

    Isso era dantes ..dizem entretanto alguns jovens, também erradamente, como se a boa educação, uma postura correcta ou o respeito para com os outros não fossem sempre normas vigentes de comportamentos.

    É um facto que tudo evolui com o tempo, e que assim como o progresso nem sempre significa desenvolvimento, também nem sempre a evolução acontece para melhor. É no entanto a ordem natural das coisas, cabendo então ao HOMEM como ser racional que é, determinar e cumprir as leis, HOMEM que inclusivamente estará condenado quando deixar de acreditar num amanhã melhor.

    É também um facto que as novas gerações se constroem na experiência dos tempos que se vão, procurando natural e necessariamente abrir novos horizontes ,mas sempre tendo presente os valores que nos caracterizam.

    Espectáculos para crianças, sessões para adultos, convívios para idosos , tudo certo mas não como regra já que é também fundamental o encontro desses mesmos grupos de idades—crianças, jovens, adultos ,idosos—se bem que cada um dos mesmos(grupos etários ) tenha algumas necessidades específicas. No entanto , uma sociedade/comunidade harmoniosa assenta fundamentalmente no congregar de estádios e situações que se complementam.


    Entenda-se que a idade não pode determinar barreiras, e que só todos juntos formam uma comunidade—o que se torna essencial para uma melhor qualidade de vida.

    Lino Mendes
    Voltar ao Topo Ir em baixo
    Ver perfil do usuário
    lino mendes
    Admin


    Número de Mensagens : 869
    Data de inscrição : 27/06/2008

    MensagemAssunto: Esta palavra Democracia   Ter Dez 16, 2008 8:44 pm

    Esta palavra
    Democracia

    O que é, afinal democracia como sistema?

    Platão detestava a mesma e, se bem compreendi, para ele era o poder da “opinião” em detrimento do “conhecimento”. Por sua vez e para o seu discípulo Aristóteles a democracia era “ uma condição necessária para o bom governo , embora estivesse longe de ser condição suficiente”. Para bastantes autores a democracia tinha um significado pejorativo, e alguns foram os ditadores---Nasser; Ayub Khan; Sukarno; Franco; Stoessner, Trujillo—que usaram o termo democracia na sua governação.
    Antes de mais, Brernard Crick diz-nos que “ nenhum conceito político é mais usado e abusado, do que o da democracia. Quase todos os regimes se dizem democráticos , mas nem todas as “democracias” permitem a liberdade. E a liberdade vem antes de qualquer sucedâneo democrático.”E “ salienta que a democracia é uma condição necessária mas não suficiente para o bom governo ,e que ideias como poder da lei, direitos humanos e liberdades cívicas devem muitas vezes limitar os desejos das maiorias democráticas. ”Houve aliás quem defendesse e acreditasse “que a classe trabalhadora devia ser emancipada e que devia governar as outras classes numa época de transição revolucionária, até chegar a uma sociedade sem classes ,o governo pelo povo”—a que utopicamente também chamavam democracia
    Muito haveria a dizer sobre A História da Democracia mas parece-me ser esta síntese suficiente para que se tenha uma ideia do que tem sido ,do que deve ser a “democracia”, até onde a mesma pode chegar. Qual o melhor para a “comunidade”, a “democracia directa” em que todos são chamados a votar as leis, ou a “democracia parlamentar”, que é aquela em que vivemos.E,importa questionar ,será que liberdade é sinónimo de democracia? Digamos que deveria ser mas não é, e é também Crick que o afirma.

    Mas ,porque o tempo passa e tudo transforma, e a política tem que sempre ser considerada em função do tempo e do espaço, afinal. o que é hoje democracia? Digamos que para mim será/ou seria o viver no respeito pelo seu semelhante , tendo por base o cumprimento da lei, que muitas vezes é o querer duma maioria absoluta, e outras vezes o resultado do acordo negociado por uma maioria relativa. Mas, porque não é a democracia que modela o homem, mas este , que na sua ânsia de poder lhe dá a devida substância e a caracteriza, nunca se atinge o desejável. Dizem-nos no entanto, que com todos os seus defeitos é o melhor dos sistemas.

    É um facto que são democráticas todas as leis que vigoram em Portugal. No entanto, nos tempos que correm, poderá chamar-se democracia a um sistema que socialmente é o mais desigual da Europa, onde o fosso entre ricos e pobres é cada vez maior, onde dois milhões de portugueses sobrevive com menos de setenta contos mensais?

    Eu só pergunto, porque na realidade não compreendo!


    LINO MENDES
    Voltar ao Topo Ir em baixo
    Ver perfil do usuário
    lino mendes
    Admin


    Número de Mensagens : 869
    Data de inscrição : 27/06/2008

    MensagemAssunto: AO SABOR DO PENSAMENTO   Qui Jan 15, 2009 9:07 pm

    Ao sabor do pensamento

    Foi fabulosa a ideia de promover novos e jovens valores no mundo da canção e ao mesmo tempo relembrar cantigas portuguesas de sempre; foram de magia os momentos que se viveram; foi construtiva a linguagem dos comentadoresi; por tudo isto os participantes não mereciam aquela traiçãozinha de se fazer um campeonato do que poderia ser acima de tudo uma “Mostra”.
    Pessoalmente não concordo com concursos em cultura, e não tenham dúvidas que só por si, as palmas são um grande prémio para quem está fazendo as coisas por gosto. E menos concordo quando, como neste caso, é o público a ditar as leis, e votando ainda as vezes que quisesse. Para não falar em condicionantes como a canção escolhida para o participante e que aqui e ali não me pareceu a mais adequada.
    Claro que era importante que as chamadas fossem feitas!
    Todos foram vencedores, foi dito. Mas a verdade é que só um levou 25.000.00€ para casa. E como soa mal .ouvir por exemplo dizer que a pequena Beatriz Costa foi uma finalista vencida. Mas vencida por quem? Digamos que pelo mau sistema escolhido para uma ideia fabulosa.
    Diga-se, entretanto, que como um tinha que vencer, até fiquei contente que tenha sido o Miguel a consegui-lo, ou não fosse ele neto de um grande amigo.
    Entretanto, sei que os concursos vão continuar, e nada mais aqui deixo do que um desabafo. Mas ao menos arranjem-se expressões mais correctas do que vencedor, do que o melhor, do que vencido, quando o resultado final não é garantidamente o reflexo do aquilatar de qualidades.
    De qualquer modo, foi um excelente serviço público de televisão, prestado por um canal privado.
    Em meu entender,claro!

    Lino Mendes
    Voltar ao Topo Ir em baixo
    Ver perfil do usuário
    lino mendes
    Admin


    Número de Mensagens : 869
    Data de inscrição : 27/06/2008

    MensagemAssunto: AO SABOR DO PENSAMENTO   Qua Set 23, 2009 12:09 am





    Crónicas

    ao sabor de pensamento







    Porque vivemos “ num ambiente de intriga e de falsas verdades” (concordo com a Dr.ª Manuel Ferreira Leite), há quem, pretendendo mostrar uma imaginária superioridade, proclame a defesa de um futuro construído por acções de Modernidade. Mas resta saber qual é o conceito que se tem de Modernidade…



    A família e o casamento são dois exemplos para clarificar situações. E no primeiro caso, a modernidade está na supressão da figura do chefe de família, o da mulher deixar de ser encarada como “criada” da casa, o da responsabilidade mútua em todos os aspectos da vida a dois. E se também é preciso compreender que os pais não são donos dos filhos, estes têm que entender que lhes devem respeito, não podem fazer o que querem e lhes apeteça , não têm o direito de sair sem dizerem para onde vão ou a que horas regressam. Para alguns desses filhos, pais apenas para dar a mesada. Mas esta é uma faceta com a qual alguns arautos do “ é preciso modernizar” não concordam. Modernizar, acompanhar os novos tempos, é essencialmente viver sem regras, talvez porque ainda não compreenderam que um país é mesmo o reflexo da família. E aqui entram em análise as regras essenciais para um viver a dois.



    Casamento igual a união de facto?



    Confesso que em meu entender, as sólidas estruturas de uma família tanto podem existir numa como na outra situação, assim como o inverso. Considero ainda que um casal que viva em constante desentendimento deve separar-se, mas entendo também que quando duas pessoas “juntam os trapinhos” como diz o povo, deve constituir um projecto para a vida.

    Sou, pois, pelo casamento que não deve usufruir de iguais direitos aos da união de facto., e explico:



    Os grandes problemas da humanidade, resultam hoje da crise de valores em que o mundo está mergulhado. Claro que não podemos regredir ao tempo em que uma rapariga que seja “enganada” e deixada pelo namorado, fica marcada para toda a vida. Mas também não podemos aceitar um casa-descasa por desporto, tampouco encarar mesmo à gente jovem, como um acto natural do dia-a-dia, o sexo com parceiros diferentes. Claro que com estas palavras não vou endireitar o mundo, mas posso ajudá-lo a melhorar. Tento-o pelo menos. Por isso, o casamento pode ser um travão a alguns desvarios desde que, claro, não tenha socialmente os mesmos direitos da união-de-facto.



    Apenas uma nota final. Um casal significa vida conjunta de pessoas de sexo diferente, e os signicados que os dicionários nos apresentam, não podem ser alterados por decreto Mas isso é assunto para outra “conversa”.



    Lino Mendes


    Voltar ao Topo Ir em baixo
    Ver perfil do usuário
    Conteúdo patrocinado




    MensagemAssunto: Re: AO SABOR DO PENSAMENTO...   

    Voltar ao Topo Ir em baixo
     
    AO SABOR DO PENSAMENTO...
    Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
    Página 1 de 1
     Tópicos similares
    -
    » Pensamentos Góticos

    Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
    G.P.S.C. de Montargil :: Comunicação DIVULGAÇÂO :: Diga de sua justiça-
    Ir para: