G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Tópicos similares
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 CARAVELAS DE CULTURA-Espaço de Lusofonia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
linomendes



Número de Mensagens : 328
Data de inscrição : 16/06/2010

MensagemAssunto: CARAVELAS DE CULTURA-Espaço de Lusofonia   Seg Maio 28, 2012 5:56 pm

Photobucket
Este é um “ponto de encontro e de referência”de algumas pinceladas de cultura no âmbito da LUSOFONIA.´E um projecto aliciante mas igualmente ambicioso ,mas cujo sucesso vai depender da adesão que merecer em cada um dos países de Língua Portuguesa.
Aguardemos”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
linomendes



Número de Mensagens : 328
Data de inscrição : 16/06/2010

MensagemAssunto: PORTUGAL   Seg Maio 28, 2012 7:14 pm

Lino Mendes (Praça da Poesia) Moda de "saias"
Photobucket
Muitos saberão que a moda de “saias”, que são cantadas e bailadas ou só cantadas, com ou sem acompanhamento musical, são essencialmente cantadas a despique, entre homem e mulher ou entre mulheres, podendo eventualmente entrar na liça outro homem se em jogo está a conquista dessa mulher.

Ora, em 2004,solicitamos a um grupo de amigos que para o efeito fizessem algumas “quadras”. E aqui deixamos algumas das que nos foram enviadas:

FERNANDO MÁXIMO (Avis)

Ela:
Quando chegas sobe o sol ,
quando te vais desce a lua;
se tu foras um lençol
eu dormia toda nua

Ele:
Mas se eu fosse um lençol
branquinho como a geada,
tu, sem teres um cachecol
morrias toda gelada

JOSÉ DA SILVA MÁXIMO (Santo Antº Areias)

Ele:
Menina que tens o curso
responde ao fim e ao cabo:
quantos pelos tem o urso
sem contar com os do rabo

Ela:
Os pelos que um urso tem
estou certa e não me iludo:
os mesmos que tu, também,
incluindo o rabo e tudo!

M. ROSA VICENTE BARRABÉ (Tramagal)

Ele:
Contigo hei-de casar,
preciso de cozinheira;
ainda hei-de ser teu par,
ser teu dono a vida a inteira

Ela:
Lamento dizer que não ,
faço-o de forma singela,
sou bicho de estimação
mas não sou de andar à trela

GABRIEL RAMINHOS (Reguengo da Monsaraz)

Ele:
Minha linda alentejana,
moreninha de encantar,
meu coração não se engana…
-eu só vivo pra te amar!

Ela:
Deixa-te de brincadeiras;
de falar com fingimento.
Dizes gostar de trigueiras…
Palavras leva-as o vento!

HIPÓLITA M.CHARNECA CARRIÇO (Évora)

Ele:
Ó que menina tão linda
que me despertou paixão,
posso ter esperança ainda
de me dares teu coração?

Ela:
Meu coração já o dei ,
já chegaste atrasado,
infiel não serei,
vai cantar pra outro lado

MARIA ALBERTINA DORDIO (Portalegre)

Ele
Uns vivem na abastança
e outros pobres de mais;
para quê tanta riqueza,
se os homens são iguais?

Ela
Se os homens são iguais,
têm igual merecer.
O que têm uns a mais,
falta a outros pra viver

FRANCISCO MATOS SERRA (Cabeço de Vide)

Ele
Sempre aqui encontrarás,
se vieres a Montargil,
muito amor justiça e paz
num sonho feito de Abril.

Ela
Muito sincero e subtil…
Montargil sempre me apraz…
Aqui…o povo é gentil,
e, Abril não volta atrás.

CELESTE M. DA SILVA AVÓ CHARNECA (S. Miguel de Machede)

Ele
Vestidinho de chita verde,
nesta função se estreou,
está bonito e bem talhado,
minha bolsa é que o pagou.

Ela Tua bolsa é que o pagou,
e já remédio não tem;
tu deste-mo e eu aceitei,
Deus pague a quem faz bem. [/justify]

Fonte:
Lino MendesPhotobucket
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
linomendes



Número de Mensagens : 328
Data de inscrição : 16/06/2010

MensagemAssunto: ORAÇÃO ECUM+ENICA EM TROVAS   Sab Jun 23, 2012 1:57 am

Oração ecumênica em trovas
A. A. de Assis
------------------------------------------------------------------------
C – Coordenador; L – Leitor; T- Todos
-----------------------------------------------------------------------------------------------
C – Paz e bem, querido irmão;
paz e bem, irmã querida.
Unidos em oração,
louvemos os dons da vida!
---------------------------------------------------
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
CANTO – 1 – Canção de São Francisco de Assis, patrono dos Trovadores


Senhor, fazei-me instrumento da vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor,
onde houver ofensa, que eu leve o perdão,
onde houver discórdia, que eu leve a união,
onde houver dúvida que eu leve a fé,
onde houver erro, que eu leve a verdade,
onde houver desespero, que eu leve a esperança, onde houver tristeza, que leve a alegria,
onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre,
fazei que eu procure mais
consolar que ser consolado,
compreender que ser compreendido,
amar que ser amado,
pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive
para a vida eterna.


JOGRAL – 1

T – Deus, no princípio, descerra / o palco da criação: / cria o céu e cria a terra / e enche de luz a amplidão.

Cria as águas e as reparte / em rios, lagos e mares, / e com ternura e com arte / cria os bosques e os pomares.

Coloca milhões de estrelas / na abóbada imensa e nua, / e acende no meio delas / o sol e em seguida a lua.

Faz que as águas se povoem / de peixes – grandes, pequenos, / e manda que as aves voem / com seus festivos acenos.

Num outro gesto ele faz / aparecer sobre a terra / toda espécie de animais: / os da planície e os da serra.

E é nessa alegre paisagem / que Deus finalmente lança / alguém que é a sua imagem, / sua própria semelhança.

“Façamos – diz o Senhor – / o homem; e a companheira / com quem partilhe o esplendor / e a graça da terra inteira.”

Cria-os Deus na excelência / da justiça e da verdade, / e dá-lhes a inteligência / e a vontade e a liberdade.

Dá-lhes a luz, o calor; / dá-lhes o ar, o alimento; / dá-lhes o aroma da flor; / e a chuva e o luar e o vento.

E lhes confia a incumbência / de, tendo o mundo nas mãos, / à criação dar sequência / formando um povo de irmãos.
-----------------------------------------------------------------

C – Hão de vir logo os bons dias / em que os homens poderão, / como sonhara Isaías, / uns aos outros dar a mão!

L – 1 – Leitura do livro do profeta Isaías – capítulo 11, versículos 6 a 9:

Em paz, o lobo e o cordeiro / a toca repartirão, / e afastarão por inteiro / as mágoas do coração.

Sem os ódios do passado, / sem agressão, sem conflito, / deitar-se-ão lado a lado / o leopardo e cabrito.

O bezerro e o leãozinho / irão juntos a passeio, /
e até mesmo um menininho / os tocará, sem receio.

A vaca terá no urso / seu parceiro de pastagem, / sem disputa, sem concurso, / sem nenhum tirar vantagem.

As crianças brincarão / no campo tranquilamente, / podendo até pôr a mão / na ninhada da serpente.

Jamais o mal será feito / a nenhuma criatura. / -- Será o reinado perfeito / da bondade e da ternura.
Pois como a água enche o mar, / nesse dia há de o Senhor / a terra inteira inundar / de paz, de justiça e amor!
-----------------------------------------------------------------
Salmo
C – Tudo o que respira louve / e glorifique o Senhor!

L – 2 – Louvai-o no santuário, / louvai-o no firmamento; / em toda parte louvai-o, / louvai-o a todo momento.

Louvai-o com violinos, / ao som das harpas louvai-o; / louvai-o entoando hinos, / tangendo sinos louvai-o.

Louvai-o em cantigas novas, / batendo palmas louvai-o; / louvai-o cantando trovas, / em meigos versos louvai-o.

Tudo o que respira louve / e glorifique o Senhor. / Tudo cante, exulte e louve, / louve a Deus, que é puro amor!
-------------------------------------------------------------------
C – Vamos ouvir, de João, / a carta em que ele nos chama / para amar o nosso irmão / assim como Deus nos ama.

L-3 – Leitura da primeira carta de João – capítulo 4, versículos 7 a 10:

Queridos amigos meus: / amemo-nos mutuamente, / porque o amor vem de Deus, / para alegria da gente.

Quem ama de Deus é filho, / conhece o Pai Criador; / quem ama reflete o brilho / de Deus, porque Deus é amor.

Foi assim que Deus mostrou / o quanto é capaz de amar-nos: / seu próprio Filho mandou / ao mundo para salvar-nos.

O amor, amigos, é isto: / -- antes de o termos amado, / Deus nos deu seu Filho, o Cristo, / que nos livrou do pecado.
-------------------------------------------------------------------
CANTO–2 – Canção da Alegria (Beethoven)
-------------------------------------------------------------------
Escuta, irmão, a canção da alegria, / um canto alegre de quem espera um novo dia. /
Quem canta sonha cantando, / vive sonhando um novo sol, / em que os homens voltarão a ser irmãos. /
Se em teu caminho só existe a tristeza, / segue sereno na esperança e na certeza. /
Quem canta sonha cantando, / vive sonhando um novo sol / em que os homens voltarão a ser irmãos. /
Se não encontras alegria nesta terra, / busca a esperança na distância das estrelas.
Quem canta sonha cantando, / vive sonhando um novo sol, / em que os homens voltarão a ser irmãos.

C – Ouça a palavra fraterna / do Cristo a nos ensinar / que a graça da luz eterna / é para quem sabe amar.

L-4 – Leitura do Evangelho de Lucas – capítulo 10, versículos 25 a 28:

Pergunta um doutor da Lei, / querendo testar Jesus: /
– Diga, Mestre: o que farei / para entrar na eterna luz?

Responde Jesus então, / com palavras compassadas: / – O que é que diz a lição / das Escrituras Sagradas?

De imediato o doutor / cita o que ensina a lição: /
– “Ame a seu Deus e Senhor, / de todo o seu coração.

“Ame a seu Deus totalmente, / de alma, força e inteligência, / e ame o próximo igualmente, / sem nenhuma reticência”.

-- A resposta, diz Jesus, / é essa que aí está. / – Quem faz isso tem a luz; / na eterna luz viverá.
-------------------------------------------------------------------
Preces
C – Oremos, irmãs e irmãos, / pelos que creem no amor; / pelos que apertam nas mãos / as mãos do irmão sofredor!

L-5 – Pelos irmãos Trovadores,/ que, no seu canto feliz, / são os meigos seguidores / de São Francisco de Assis.

T– Senhor, fazei-nos instrumentos do vosso amor!

L-5 – Pelos que assumem, cantando, / a pureza das crianças, / e estão sempre cultivando / sementeiras de esperanças.

T – Senhor, fazei-nos instrumentos da vossa bondade.

L-5 – Pelo autêntico poeta, / que extrai do seu coração / a mensagem de um profeta / que ensina a partir o pão.

T – Senhor, fazei-nos instrumentos da vossa justiça.

L-5 – Por todos os que, na terra, / semeiam versos de amor; / pelo bem que a trova encerra, / peçamos sempre ao Senhor!

T – Senhor, fazei-nos instrumentos da vossa paz.
------------------------------------------------------------------
C – Que saudade, que saudade / dos grandes mestres da Trova / que hoje estão na eternidade / partilhando a vida nova!
-----------------------------------------------------------------

C – Saudade de Adelmar Tavares...

T – “Oh, linda trova perfeita, / que nos dá tanto prazer... / Tão fácil, depois de feita; / tão difícil de fazer!”


C – Saudade de Luiz Otávio...

T – “Às vezes, o mar bravio / dá-nos lição engenhosa: / afunda um grande navio, / deixa boiar uma rosa!”

C – Saudade de Lilinha Fernandes...

T – “Minhas netas, sempre rindo, / são meu alegre evangelho: / – musgo verde revestindo / de esperança um muro velho!”

C - Saudade de Barreto Coutinho...

T – “Eu vi minha mãe rezando / aos pés da Virgem Maria. / Era uma santa escutando / o que outra santa dizia!”

C – Saudade de Aparício Fernandes...

T – “Redimindo os pecadores, / conduzindo-os para a luz, / o maior dos sonhadores / morreu pregado na cruz!”

C – Saudade de Vera Vargas...

T – “A vida cedeu-me um canto / e outro à saudade legou. / No meu canto eu canto tanto, / que a saudade se mudou!”

C – Saudade de J. G. de Araújo Jorge...

T – “Tudo é trova: a flor, a onda, / a nuvem que passa ao léu... ? / E a lua, trova redonda / que a noite canta no céu!...”

C – Saudade de Lucy Sother Rocha...

T – “Deus fez idosos os sábios... / Eram velhos os profetas... / Mas, com um sorriso nos lábios, / não deu idade aos poetas!”

C – Saudade de Newton Meyer...

T – “O poeta é um pai fecundo / que se encontra e se compraz / entregando um filho ao mundo / em cada verso que faz.”

C – Saudade de Milton Nunes Loureiro:

T – “Senhor, escuta os cicios / dos excluídos, sem teto... / Troca seus ninhos vazios / por ninhos cheios de afeto!”

C – Saudade de Waldir Neves...

T – “Velho cultor de utopias / e de ambições sobranceiras, / sonho ver, ainda em meus dias, / um mundo igual, sem fronteiras!”

C – Saudade de José Maria Machado de Araújo...

T – “Trovadores, meus irmãos, / vamos viver de mãos dadas. / Onde há correntes de mãos / não há mãos acorrentadas!”
------------------------------------------------------------------
C – Querida irmã, caro irmão, / buscando juntos a luz, / vamos dizer a oração / que aprendemos com Jesus.

T – Pai nosso, que estás no céu, / teu nome é santificado. / Venha a nós, num puro véu, / o teu reino abençoado.

Faça-se a tua vontade / na terra e no céu, Senhor, / e que toda a humanidade / aceite viver no amor.

Nosso pão de cada dia / jamais permitas faltar: / o pão que traga a alegria / a todos, em cada lar.

Perdoa – nós te rogamos – / as ofensas cometidas, / tal como nós perdoamos / as ofensas recebidas.

E ao mesmo tempo, Senhor, / em que nos dás teu
perdão, / dá-nos forças para impor / resistência à tentação.

Livra-nos de todo mal, / levando-nos para o bem. / E o teu amor paternal / nos encha de luz. Amém!

------------------------------------------------------------------

C – Muito obrigado, Jesus, / porque em nós, a cada dia, / renovas a graça e a luz / da verdadeira alegria.

T – Agradecemos, Senhor, / o dom imenso da vida, / e a fé, e a esperança, o amor, / e a terra farta e florida.

Senhor Jesus, obrigado, / porque toda a natureza / é o sublime resultado / de um repartir da beleza.

De um repartir da bondade / que há no coração de Deus, / visando à felicidade / de todos os filhos seus.

Por isso também queremos / repartir o nosso pão: / o pão com que alimentemos / a boca de um nosso irmão.

E o pão de nossa alegria, / e o pão de nossa cultura, / e o pão de nossa poesia, / e o pão de nossa ternura.

Pois repartindo é que a gente, / fazendo a tua vontade, / lança no mundo a semente / da eterna fraternidade!

------------------------------------------------------------
C – Minhas irmãs, irmãos meus, / no seu bonito cantar, / proclamem o amor de Deus / em todo tempo e lugar!
----------------------------------------------------------------

CANTO FINAL – (Hino dos Trovadores)
Nós os Trovadores / somos senhores de sonhos mil. / Somos donos do universo / através do nosso verso. /
E as nossas Trovas / são bem as provas desse poder. / Elas têm o dom fecundo / de agradar a todo mundo
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: CARAVELAS DE CULTURA-Espaço de Lusofonia   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
CARAVELAS DE CULTURA-Espaço de Lusofonia
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» pins de monumentos de españa
» OPEN GPC 2012 - Novo espaço - Fotos!!!
» Os meus pins!
» Limpeza de Membros Inactivos a 17-03-2012
» VM 2.5 - Espaço de discussão Opiniões/Melhorias

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: História e Património :: Sala da Cultura-
Ir para: