G.P.S.C. de Montargil
informação
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  
Conectar-se
Nome de usuário:
Senha:
Conexão automática: 
:: Esqueci minha senha
Tópicos similares
Últimos assuntos
» MUSEU ONLINE
Ter Abr 29, 2014 8:17 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Dom Abr 27, 2014 7:27 pm por lino mendes

» MUSEU ONLINE
Sab Abr 26, 2014 11:22 pm por lino mendes

» MUSEU OINLINE
Sab Abr 26, 2014 9:29 pm por lino mendes

» MUSEOLOGIA
Sab Abr 26, 2014 9:21 pm por lino mendes

» JORNAL DOSSABORES
Sex Abr 25, 2014 8:55 am por lino mendes

» LITERATURA
Ter Abr 22, 2014 9:36 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:33 pm por lino mendes

» O LIVRO
Ter Abr 22, 2014 9:31 pm por lino mendes

Buscar
 
 

Resultados por:
 
Rechercher Busca avançada
Rádio TugaNet
Geo Visitors Map
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      
CalendárioCalendário

Compartilhe | 
 

 ANTONIO ALEIXO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
lino mendes
Admin


Número de Mensagens : 869
Data de inscrição : 27/06/2008

MensagemAssunto: ANTONIO ALEIXO   Ter Dez 21, 2010 4:18 pm

ANTONIO ALEIXO
O poeta daGente
Photobucket


Foi, sem dúvida, e como alguém afirmou, “um olhar irreverente sobre a sociedade portuguesa. Sendo incontornável que“sob o «ler, escrever e contar» da sua modesta escolaridade, escondia-se o vulto notável de um poeta insigne que, na profundidade filosófica dos seus versos, ditou ao mundo um conceito muito pessoal da própria vida”Mas é de forma modesta que ele próprio se define ao afirmar que
Não sou esperto nem bruto,
nem bem nem mal educado,
sou simplesmente um produto
do meio em que fui criado

Quase analfabeto, teve no entanto quem lhe reconhecesse o mérito, destacando-se nesse campo o Dr. Joaquim Magalhães, que recolheu e publicou parte da sua obra. Por isso Aleixo dizia que
:
Não há nenhum milionário
Que seja feliz como eu:
Tenho como secretário
Um professor do liceu.


Não sei se por cá terá havido, quem por palavras simples tanto tenha dito , e ele até considerava que não tinha vistas largas nem grande sabedoria, mas que nas horas más recebera, lições de filosofia.

Ora, quem não compreende as suas mensagens?

À guerra não ligues meia,
porque alguns grandes da terra,
vendo a guerra em terra alheia,
não querem que acabe a


Sei que pareço um ladrão...
mas há muitos que eu conheço
que, não parecendo o que são,
são aquilo que eu pareço.

Enquanto o homem pensar
que vale mais que outro homem,
são como os cães a ladrar,
não deixam comer, nem comem.

O mundo só pode ser
melhor do que até aqui,
quando consigas fazer
mais p'los outros que por ti!



Mentiu com habilidade,
fez quantas mentiras quis;
agora fala verdade
ninguém crê no que ele diz.



Sei que umas quadras são conselhos
que vos dou de boa fé;
outras são finos espelhos
onde o leitor vê quem é.

Nasceu em 1889 e quando morre em 1949,leva consigo o grande desgosto de ver morrer uma filha por carência de tratamento. Homem de grandes vivências --soldado, polícia, tecelão,pastor, cauteleiro,”cantador e tocador por feiras e mercados”—alargou os seus horizontes ao emigrar.

Sobre António Aleixo escreveu-se:

“A sua produção poética é um manancial de sabedoria empírica que o poeta manuseia magistralmente e que o povo repete, saboreando, verso a verso, o gosto da palavra.
Subjacente à sua criação, está toda uma sociedade povoada de vícios e mascarada de virtudes. Nos seus versos, encimados pela ironia, está sempre presente a crítica social mordaz, mas autêntica.
Atento à realidade circundante, alude a todos os seus aspectos menos paradigmáticos e incongruentes, com uma perspicácia e argúcia únicas. A época em que viveu foi «radiografada» pelo talentoso poeta. Nos seus versos, focou todas as «mazelas» de que enfermava (e ainda enferma) a sociedade.”

«Este livro que vos deixo», «O Auto do Curandeiro», «O Auto da vida e da Morte», o incompleto «O Auto do Ti Joaquim» e «Inéditos»,são os títulos publicados, mas o seu espólio será muito mais vasto encontrando-se fgragmentado por todo o Algarve ,acontecendo ainda que quando da sua morte, por tuberculose,“vários cadernos seus foram cremados como meio de defesa contra o vírus infeccioso da doença que o vitimou, sem dúvida, um «sacrifício» impensado, levado a cabo no holocausto do medo. Foi esta uma perda irreparável de um património insubstituível no vasto mundo da literatura portuguesa.”
LinoMendes

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
ANTONIO ALEIXO
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» ME PRESENTO
» Docas de Lisboa ás quintas-feiras

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
G.P.S.C. de Montargil :: Eventos, Recreação e Cultura :: Literatura-
Ir para: